A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

HOMENAGEM - III






Quando o Marazzi escreveu para revista MOTOR 3 a reportagem "Pinicos atômicos", eu não pude acompanhar os testes, só cheguei mais tarde para tirar aquela foto com meu bigode lusitano, meus mecânicos não queriam que ninguém andasse no carro, e por isso o levaram sem motor e com as rodas de transporte. Acho que o " Velho " ficou chateado comigo, quando cheguei ele já tinha ido embora. Depois das fotos o Duran, que era um festeiro de primeira, combinou uma homenagem ao Marazzi em sua casa noturna o TALBOT, na Av. Henrique Schaumann para dali alguns dias.
Na noite marcada resolvi ir com a CARRETERA, para homenagear meu amigo que havia corrido com ela as MIL MILHAS de 1966 e dela me contava mil histórias. Quando estava de saída chegou o Homero e fomos juntos. Desci a Av. Bandeirantes, Marginal Pinheiros,Av. Cidade Jardim, Faria Lima, Rebouças, e entrei na Henrique Schaumann, por onde passávamos todo mundo olhava, aquele ronco do V 8 , aqueles dois loucos guiando aquela máquina, pouca gente deve ter se dado conta que não era um calhambeque e sim, a História. Ao chegarmos ao TALBOT aglomeração encima dela, lá todo mundo sabia o que ela já havia feito. Entrei e o Marazzi estava no meio de uma roda de amigos conversando, cumprimentei-o e disse " trouxe um presente para você, vamos lá fora ". Hoje 25 anos depois ainda me lembro de seus olhos, atrás dos óculos brilharam, me olhou e disse " vou dar uma volta com ela ". A volta durou mais de uma hora, quando voltou sentou-se a meu lado e disse só " obrigado ", não falamos do assunto CARRETERA, mais eu via que ele estava emocionado, imaginei o que se passava em sua mente, e imaginei também como havia sido sua voltinha.
Dois anos depois estava andando uma manhã pelo Ibirapuera, e encontro o Homero que dispara, " leu a QUATRO RODAS o Marazzi te fez uma baita homenagem" fui comprar a revista e ao ler a matéria pude entender sua emoção e o só " obrigado ". É " Velho " cheguei naquela noite com ela para te homenagear e você acaba escrevendo um texto maravilhoso destes.

Obrigado Velho!

Dedico este texto aos amigos Victório Azzalin e Gabriel Marazzi, agradeço ao Careca - Julião Domingos da Silva - pelo exemplar da revista , e ao Fabio  Paperslotcar.

Rui







Victório Azzalin







8 comentários:

  1. Maravilhoso post! Bela e justa homenagem não só ao grande Marazzi mas também a todos os citados, na qual incluo o amigo e autor da mesma. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Caro Rui,, Eu participei desta Mil Milhas de 1965 - Foi minha 1a Prova de longa duração,, estavamos em 8o lugar na geral, mas tivemos um problema com a pressao do oleo e paramos nosso Renault Teimoso 850 cc antes do final da prova,, No miolo nosso REnault andava junto com as Carreteras mas nas retas e subidas , só viamos as " poeiras das careteras " .. Gostei do Post homenageando o Vitorio Azalin Filho ,,,abaixo o resultado final da prova ,,,abraçao Águia from Floripa..
    1º Carretera Chevrolet Corvette nº 50 Justino de Maio e Vitório Azalin Filho SP – 201 voltas
    2º Carretera Chevrolet Corvette nº 34 Caetano Damiani e Bica Votnamis SP - 199 voltas
    3º FNM 2000 nº 5 Leonardo Campana e Jaime Pistili SP - 185 voltas
    4º Simca Carretera nº 35 Breno Fornari, Nestor Mário Koch e Afonso Hoch RS - 184 voltas
    5º Alfa Giulia 1600 nº 25 Emílio Zambello e Marivaldo Fernandes SP - 182 voltas
    6º Renault 1093 - 1000CC nº 75 Fernando Pereira e Hélio Mazza RJ - 180 voltas
    7º VW 1300 nº 45 Armando Lagoeiro e Abelardo Aguiar RJ - 178 voltas
    8º DKW 1000 nº 19 Charles Marzanasco e Ozório Araújo SP - 177 voltas
    9º Renault 1000 nº 99 Luiz Felinto Silva, Adão Brito Daher e Eduardo Celidônio SP - 177 voltas
    10º Carretera Ford F600 nº 22 Luiz Valente e Luiz Carlos Valente SP - 174 voltas
    11º Renault 1000 nº 27 Coruja (Maurício Chulam) e Luiz Felipe Gama Cruz RJ – 173 voltas
    12º Simca 2500 nº 87 Edward Nahum, Claude Bernardi e Zoroastro Avon SP – 172 voltas
    13º Renault 1000 nº 85 Clóvis E. Pereira Bueno e João Batista Caldeira SP – 172 voltas
    14º DKW 1000 nº 32 Waldomiro Pieski e Expedito Marazzi SP – 170 voltas
    15º Carretera Ford nº 61 Arlindo Vigineviski e José Vera Filho PR – 167 voltas
    16º Alfa Giulia 1600 nº 23 Piero Gancia e Ruggero Peruzzo SP – 159 voltas
    17º VW nº 9 Silvano Pozzi e Marcelo Audrá SP – 157 voltas
    18º Carretera Chevrolet Corvette nº 6 Francisco Zeni e Haroldo Vaz Lobo PR – 155 voltas
    19º Renault 850 nº 40 Luiz Evandro Águia e Paulo Pardal SP – 149 voltas
    20º FNM 2000 nº 39 Ugo Galina e Luciano Borghese SP – 149 voltas
    21º Fiat Stanguelini nº 30 Luciano Bonini e Chuvisco SP – 145 voltas
    22º DKW 1000 nº 37 Arquimedes e Santo SP – 143 voltas
    23º Renault 1000 nº 8 Antonio Duarte e Mago SP – 142 voltas
    24º Carretera DKW nº 20 Nilo Barros Vinhais e Bruno Barracano SP – 139 voltas
    25º Carretera DKW nº 13 Volante 13 e Roberto Mendonça SP – 123 voltas
    26º Carretera Ford Thunderbird nº 7 Ayres Bueno Vidal e Zé Peixinho SP – 123 voltas
    27º Chevrolet Corvette nº 2 Catharino Andreatta e Victorio Andreatta RS – 120 voltas
    28º Alfa Giulietta 1600 nº 28 Luiz Carlos Sansone e Ariberto Iasi SP – 112 voltas
    29º Carretera Ford F600 nº 36 Ocimar Miranda Coutinho e Mário Cocchieri PR – 106 voltas
    30º Carretera Simca nº 82 Roberto Gomes e Rui Santiago SP – 106 voltas
    31º Simca 2500 nº 51 Inácio Terrana e T. Nuvuolari – 96 voltas
    32º Renault Gordini 1000 nº 88 Zoroastro Avon e Jeff Gagá SP – 75 voltas
    33º Carretera Chevrolet Corvette nº 18 Camilo Christófaro e Antonio Carlos Aguiar SP – 73 voltas
    34º Renault 1000 nº 3 Elvio Ringel SP – 59 voltas
    35º Renault 1000 nº 84 Antonio Carlos Porto Filho e Renato Lenci SP – 48 voltas
    36º Renault 1000 nº 16 Emerson Fittipaldi e Antônio Versa – 39 voltas
    37º VW Porsche 1600 nº 81 Buby Loureiro e Roberto O. Costa SP - 34 voltas
    38º Carretera Chevrolet Corvette nº 58 Antonio Carlos Avalone e Nicolau Papaleo SP – 32 voltas
    Obs: A carretera de Catharino e Victorio Andreatta vinha liderando a prova até as 7,30 horas da manhã quando quebrou o eixo do setor e abandonou a prova

    ResponderExcluir
  3. Belo post, Rui.

    Tomara que ela siga firme nos dias de hoje

    ResponderExcluir
  4. Fabiani C Gargioni #2710 de janeiro de 2012 18:16

    Grande Rui,como eu sempre digo "as CARRETERAS tem alma",por onde anda a 50,tu sabes...

    ResponderExcluir
  5. SENSACIONAL, Rui!!!!
    Obrigada por repartir conosco esta reliquia dos primordios do automobilismo brasileiro!
    Um abraço,
    Graziela

    ResponderExcluir
  6. NOSSA! ...tenho essa revista! Lembrei da matéria ao ver as fotos. As vezes não associamos o 'nome aos bois'..rs...

    mais uma vez...valeu!


    ResponderExcluir
  7. A única que tinha dei ao meu amigo Victório Azzalin, ele merece mais do que eu!

    ResponderExcluir

Os comentários serão aprovados por mim assim que possível, para aqueles que não possuam blogs favor usar a opção anonimo na escolha de identidade. Obrigado por sua visita, ela é muito importante para nós.

Rui Amaral Jr