A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach
Mostrando postagens com marcador Jean Pierre Beltoise. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Jean Pierre Beltoise. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

MEA CULPA...

Piero Gancia empurra sua Alfa Zagato no GP IV Centenário na Barra da Tijuca.


É fácil demais de uma poltrona confortável escrever sobre o que acontece numa pista de corridas, afinal culpar alguém sem conhecimento é um "dom" natural de certas pessoas. Tenho saudades dos textos precisos e concisos de Paul Frère e meu amigo Expedito Marazzi dois grandes jornalistas e pilotos, que como quase todos nós já sentiram suas bundas ardendo num carro de corridas e escreviam sobre o que sabiam, fora eles alguns outros, diria que alguns poucos outros tinham ou têm a consciência exata do que é competir.
Jean Pierre foi crucificado pelo acidente na Argentina, quando a única culpa dele foi o excesso de competitividade a vontade de levar um carro sem combustível até o box. Lembro muito bem quando ao meu lado Jean Pierre foi colocar o capacete, com aquele braço torto e duro pelos acidentes de motocicleta e com o René Bonnet-Renault, sentava no carro meio de lado para poder trocar as marchas, já que o braço que descrevo acima era o direito, e mandar a bota naquele Formula Um.
Jean Pierre não foi o culpado, e hoje acredito que ninguém foi, sua culpa sim foi o excesso de competitividade, como todos outros que mostro acima, sem dúvida alguma um grande piloto, que apesar do acidente, e da culpa de uma imprensa inconsequente deixou sua marca no automobilismo.

Rui Amaral Jr      



1959 - Black Jack empurra sua Cooper T45 no GP dos EUA em Sebring para chegar no quarto lugar, e conquistar seu primeiro titulo mundial. 
Thierry Butsen empurra sua Arrows-BMW no GP de Imola para chegar no segundo lugar.
O Leão desmaia em Dalas ao empurrar sua Lotus.
Walter "Tucano" Barchi empurra seu Escort na chegada das Mil Milhas.
O Urso dá uma carona à Black Jack em Nurburgring.

Jean Pierre Beltoise-Argentina 1971







 Arturo Merzario companheiro de Ignazio Giunti na Ferrari 312P de 3 litros vem embutido num Porsche 971K de 5 litros...era o espirito de tudo!
 Giunti em Buenos Aires
Ignazio Giunti
XIUHTECUHTLI, O DEUS DO FOGO ASTECA
Excelente texto do Caranguejo.





segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

VALEU CAMPEÃO!

Jean Pierre Beltoise
26 de Abril de 1937 - 5 Janeiro 2015






quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

GP da Espanha 1968 - Jarama

Amon sem combustível!

Pedro toma a ponta seguido por Beltoise.
Amon já à frente de Pedro

Ontem meu amigo Charger Le Mans me enviou no Face a bela foto de Chris Amon, logo notei que era de 1968 e procurando encontrei a corrida!
Jarama 1968 GP da Espanha a segunda prova do campeonato, Jim Clark após a vitória na primeira etapa havia na Africa do Sul havia perecido em uma corrida de F2, quem seria o novo Rei?
Na minha imaginação de 15 anos apenas Amon poderia substituir meu ídolo à altura na Lotus, com todo respeito e admiração que nutria por Hill, Rodriguez, Bruce, Courage, Rindt... 
Apenas treze carros largaram em Jarama, Amon na pole com a Ferrari 312, a seguir Pedro Rodriguez - BRM
Denny Hulme - McLaren M8/Ford
Ludovico Scarfiotti - Cooper/BRM
Jean-Pierre Belboise - Matra/Ford
Graham Hill - Lotus/Ford 

 Hill estreando o patrocínio da Gold Leaf seguido por Hulme.

Na corrida Rodriguez toma a ponta seguido Beltoise estreando um carro de Formula Um já que Kyalami havia pilotado um Formula Dois, tendo logo à seguir Amon. Logo a seguir é a vez do novato Beltoise liderar a corrida, logo em sua segunda participação na categoria. Problemas o levam ao Box quando o pole Amon toma a liderança para  faltando poucas voltas para o final parar por falta de combustível entregando a liderança à Grahan Hill que corre pela primeira vez com a Lotus vermelha e dourada  patrocinada pela Gold Leaf.

RESULTADO 

1º  #10  Graham Hill - Lotus-Ford  90 voltas
2º  #1    Denny Hulme - McLaren-Ford
3º  #14  Brian Redman - Cooper-BRM
4º  #15  Ludovico Scarfiotti - Cooper-BRM
5º  #6    Jean Pierre Beltoise - Matra/Ford

Melhor volta: Jean Pierre  Beltoise 1'28.300


Alguns amigos meus acertaram, o Hélio, Paulo, os irmãos Heitor Luciano Nogueira Filho e Clovis Nogueira que enviou o vídeo. Barba, Tony Marx, Cuca até que tentaram!
Tohmézinho pensou ser um alicatão e passou longe!

À todos meu forte abraço!



segunda-feira, 23 de março de 2009

CAMPEÕES SEM TITULO II - A VOLTA DA RAZÃO

Beltoise e a BRM a caminho da vitoria , Monaco 1973
Ayrton e a Tolemman , a 1ª vitória lhe foi tirada .

Ayrton e a Lotus em Portugal , a vitória .


Dirigente tem cada ideia !!!!! Às vezes eles não tem nenhuma , outras como esta de dar ao piloto com maior numero de vitorias o titulo da F 1 . Eles não pilotam , não tem que frear no limite com outro "maluco " atraz ou ao lado ,não fazem a Eau Rouge cravado com um "bando" atraz ou tentando chegar em um carro mais rápido à frente . Não rodam a 250 km/h numa bela curva de alta tentando ganhar 0,10 de segundo , não largam com todos aqueles "malucos" tentando ganhar posições , ou ameaçar a sua conseguida a duras penas , e principalmente , não morrem em uma pista de corridas .
Conheci alguns bons dirigentes , deles ainda vou escrever . Me parece que o mentor da F Truck aqui no Brasil foi um grande dirigente , o pessoal que dirige a Stock e a Porsche Cup .
Acontece que apesar de falarem de profissionalismo , macacões anti chamas , capacetes etc , a maioria dos pilotos são "malucos" , a grande maioria ama o que faz , cheiro de combustível , borracha , aquele frenezi , um barulho ensurdecedor , sempre acha que vai ultrapassar quem está à frente ou segurar quem vem atrás , sempre tentando ganhar aquele décimo de segundo que às vezes faz a diferença .
Imaginem no sistema de vitorias , ao chegar a ultima prova do campeonato , Hamilton , Kubica , Buton , Vettel e Massa com três vitórias cada , seria uma corrida espetacular , só que ia terminar em pancada , e se tudo desse certo ninguém se machucaria , e se desse mal ?
Talvez a F.I.S.A tenha voltado ao bom senso , bom senso que não teve ao dar o titulo de 1989 ao francês , quando ele jogou seu carro contra o do Ayrton naquela chicane , provocando ela aquele terrível acidente do ano seguinte . Ou não punindo exemplarmente o Schummi , que ao jogar propositalmente seu carro contra o de Damon Hill tirou-lhe o titulo mundial .
Já escrevi muito , e talvez muita bobagem , mais é o que penso , é a visão que tenho do esporte .
Por que "CAMPEÕES SEM TITULO II ", queria comentar a batida do Alemão contra o Hill e escrever de novo sobre o Ayrton , e ainda lembrar de um baita piloto francês , que conheci aqui no Brasil , Jean Pierre Beltoise , fui e ainda sou seu admirador , motociclista desde a juventude ,começou sua carreira em motos depois nos carros foi a esperança da França ter um campeão , só que nas 12 Horas de Rheins sofreu um terrível acidente quando pilotava um Rene Bonnet , vendo-o colocar seu capacete com aquele braço que não esticava me perguntava como ele conseguia dirigir um F 1 . Mais naquele G.P de Monaco em 1972 veio a chuva , a chuva que nivela os carros e destaca os pilotos excepcionais Ayrton , Vettel , Peterson etc etc , Boltoise tomou a ponta na largada de um Ickx sem ter o que fazer com sua Ferrari e dominou as 80 voltas da corrida com sua BRM que não era favorita . Debaixo de chuva deu um show , lembro que assistindo a corrida pela T.V. as vezes fechava um olho como se assim pudesse conter minha ânsia , quando ele vinha de lado ou dava alguma escapada . Quando veio a quadriculada acho que eu estava mais cansado do que ele . O interessante é que 12 anos depois o mesmo Ickx , que não havia segurado o Beltoise naquela largada , tenha antecipado a bandeirada final , negando a Ayrton o que seria sua primeira vitória na F 1 , ainda bem que era o Ayrton , Portugal no ano seguinte viu uma de suas mais belas vitórias , quando sob a mesma chuva que nivela os equipamentos proporcionou a ele a primeira vitória de sua carreira , abrindo "apenas" 62 segundos do segundo colocado .