A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A Extraordinária Corrida, em 1940 - Capítulo V

No dia 17 de novembro de 1940, pela manhã, o campeão uruguaio Hector Supicci Seedes, com sua carretera Ford número 10, arrancou de Florianópolis/SC na frente dos demais competidores rumo à Porto Alegre/RS, a fim de cumprir a última e decisiva etapa de 636 quilometros do Grande Prêmio Bi-Centenário de Porto Alegre, iniciado no Rio de Janeiro/RJ no dia 14 do mesmo mês.

Não haveria nova chance. Poucos carros e pilotos suportariam a dura prova até a bandeirada final. Logo atrás de Hector arrancaram as carreteiras 16 - Ford - do catarinense Clemente Rovere e 4 - Mercury - do gaúcho Antonio Rodrigues Peres, seguidos, entre outros, pelos carros de Ernesto Ranzolin - 26 - Ford, Adalberto Morais - 36 - Chevrolet, Oscar Bins - 2 - Ford, Raulino Miranda - 38 - Chevrolet, Ari Cortese - 30 - Ford, Iberê Correia - 6 - Ford, Salvador Pereira - 20 - Willys, Julio Vieira - 12 - Lincoln Zephyr e Belmiro Terra - 46 - Chevrolet. Pela frente o longo percurso passando pelas cidades de São José, Palhoça, Várzea Grande, Taquaras, Barracão, Lomba Alta, Bom Retiro, Canoas, Rio Bonito, Índios, Lages, Vacaria, Antonio Prado, Farroupilha, Caí e São Leopoldo. Os pilotos exigiram o máximo dos carros.
O motor da carreteira de Belmiro Terra quebrou em Lages. Mas o pior aconteceu com Hector Supicci, que colocou seu carro 9 minutos à frente do carro de Rovere, já em solo gaúcho.

No entanto, a poucos quilometros do final, na cidade de Sapucaia, o motor Ford da sua carretera fundiu. Era o fim para o campeão uruguaio. Rovere passou e venceu com o tempo de 9h49´20" e 8/10. Em segundo chegou Ernesto Ranzolin com 10h24´37' e 8/10, ficando em terceiro lugar Adalberto Morais com 10h27´36´´ e 4/10.

Em seguida receberam a bandeirada dessa etapa os pilotos Oscar Bins, Antonio Peres, Raulino Miranda, Ari Cortese, Iberê Correia e Salvador Pereira, este com o tempo de 12h31´57".

Dos 23 iniciais, apenas 9 carros venceram o grande desafio. Clemente Rovere recebeu a bandeirada do Prefeito Municipal de Porto Alegre - Loureiro da Silva, em frente a escadaria do prédio do Palácio Municipal.

Mas, somados os tempos de cada etapa dos 2.076 quilometros, quem seria o grande vencedor da prova? Não perca a sequência! Nas fotos de hoje, Clemente Rovere, com os louros da vitória, carregado pelo povo e, a chegada da carreteira Ford 26 de Ernesto Ranzolin, em Porto Alegre.



Por Ari Moro

Publicado primeiramente no Paraná On Line
http://www.parana-online.com.br/canal/automoveis/news/498647/?noticia=A+EXTRAORDINARIA+CORRIDA+EM+1940+PARTE+V

Fotos do acervo pessoal do amigo Antônio Ranzolin, filho do saudoso exímio piloto gaúcho de carretera, Ernesto Ranzolin

6 comentários:

  1. Fabiani C Gargioni #2621 de dezembro de 2010 19:56

    Grande Rui,estas histórias nos emocionam a cada etapa, simplesmente show de roda!!!Obs:na postagem qdo vc fala em Retiro, na verdade a cidade é Bom Retiro é aqui perto de Lages, um abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Fabiani, fica o registro, obrigado.
    Ah! Obrigado Alicatão!

    Abs

    Rui

    ResponderExcluir
  3. Fabiani C Gargioni #2622 de dezembro de 2010 09:46

    Grande Rui,me sinto honrado em receber a honraria de ALICATÃO,obrigado de coração!!!Obs:neste momento estou sofrendo na frente do computador pra poder te mandar alguma coisa,um abraço!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá Fabiani,
    obrigada pela correção!
    Um abraço,
    Graziela

    ResponderExcluir
  5. Oi tens fotos de Clemente Rovere ou mais de sua história, ele está irmão do meu avô,que não conheci a ambos....
    Obrigada

    discipuladejesus28@gmail.com

    ResponderExcluir

Os comentários serão aprovados por mim assim que possível, para aqueles que não possuam blogs favor usar a opção anonimo na escolha de identidade. Obrigado por sua visita, ela é muito importante para nós.

Rui Amaral Jr