A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach

quarta-feira, 25 de março de 2015

Conta Walter


Luiz
Ciro
Camilão

Vendo essas fotos, me ocorre aquele silêncio com vozerio, antes da largada. Placa de cinco minutos. Passa o tempo, as equipes vão abandonando o 'grid', ligam os motores, sobe o giro, sobe, sobe, largada!
Da arquibancada, se vêm os carros indo para a Curva 1, muito rápidos e somem.
Olhos fixos na Curva 2, para ver o Luizinho em primeiro e o resto do pelotão brigando pelo resto das posições.
Descida do retão, lindamente velozes, rocando MUITO alto, lá longe.
Curva 3 sempre tinha ultrapassagens.
Ferradura desafiadora, todos balançando e roncando. Sobem para o Lago, rocando mais perto.
O Sol e a entrada do Sargento não dava para ver.
Laranja, Esse, Pinheirinho (o pinheiro estava ali), Bico de Pato, Mergulho, Junção e sumiam.
Mas vinham subindo para nos encontrar. Roncando muito. Balançando muito.
Porsche 908 já folgado na frente.
E então um sortido bloco de carros de 3 e 5 litros, equilibrados.
Mais o resto do pelotão. O "resto" inclui jóias históricas como o Bianco do Camilo Cristófaro e o Opala 44 do Ciro Cayres.
Esse foi o automobilismo que nos fez apaixonados pelo esporte e pelas máquinas.
O Rogério Luz captou e o Rui nos traz esse show de imagens que só quem viveu sabe o que era aquilo: sen - sa - cio - nal!!!

Walter

__________________________________________________________________


HISTORIAS DE PREPARADORES, MECÂNICOS, PILOTOS E OUTRAS PESSOAS QUE FAZEM DO AUTOMOBILISMO ESTE ESPORTE FABULOSO.


Assim está escrito na testeira do "Historias" e desde que comecei cinco anos atrás essa era minha intenção, contar historias dos amigos que fiz no automobilismo, alguns eram amigos de infância,  dos ídolos e de todos que admiram o esporte.
Muita gente boa se juntou à mim e assim vamos fazendo o blog, amigos que com prazer contam suas passagens, outras pessoas que não conhecia que aqui fiz amizade e hoje são amigos pessoais, muitos que seguem o blog e interagimos constantemente e por aí vai...
Neste comentário do Walter, que pedi autorização para transformar em post, a visão do fã, do apaixonado, sua visão da largada é parecida com a nossa lá de dentro, talvez até o frio na barriga seja igual.  Outra coisa muito parecida é a visão dos ídolos, pois mesmo nós que dividimos a pista com eles, tratamos Luiz, Ciro, Camilo, Bird, Avallone da mesma forma.
Não vou citar um à um dos que aqui escrevem e colaboram, mas todos nós agradecemos à vocês que nos acompanham nesta jornada.

Obrigado Walter e um abração à todos.

Rui Amaral Jr



Obrigado à meu amigo Rogério. 

9 comentários:

  1. Adoro essas histórias; Continue a nos agraciar com elas cara .......... :)

    ResponderExcluir
  2. Olá Rui, olá amigos,
    Estou vendo esta foto do Camilo, acho que é o Fúria BMW (?). Mas fiquei impressionado com a viatura que está ao lado dele, parece ter o numeral #71, portas dianteiras suicidas. Sacou? É, parece o Renault 4CV (quatre chevaux, como dizem os franceses). Pela posição no grid, deve ter apavorado a gurizada. Será que ainda era o mesmo carro do Emerson e do Môco? Ou estou enganado?
    luizborgmann

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Borgmann, não tinha reparado, as rodas são Scorro do VW que usávamos nos D3 da època, mas note que ele parece mais longo que um 4CV e o motor parece ser dianteiro, vamos tentar procurar nas fotos do Da Luz e talvez encontremos, acredito ser o Fúria Lambo, vou pesquisar.

      Um abraço

      Excluir
  3. Rui,

    as imagens não deixam dúvidas: tínhamos automobilismo de verdade em nosso país... mas infelizmente nos dias atuais as coisas são muito diferentes...

    mas fico aqui 'viajando' no passado com essas fotos sensacionais...

    abs...

    ResponderExcluir
  4. Agradeço Rui e o Walter. Belos tempos de puro automobilismo, ainda bem que estávamos lá par ver, apreciar e participar de uma forma ou outra. Abraços Rogério P.D. Luz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós é que te agradecemos Rogério, um abração!

      Excluir
  5. É claríssimo que o melhor lugar para estar, naqueles tempos, era ao volante dessas máquinas incríveis.
    Mas garanto a vocês: participar ali na arquibancada era muito bom. Me impressiono por me dar conta de como aquilo tudo foi marcante.
    Esse Berta Hollywood era lindo demais!
    Sempre agradeço ao Rui pelo espaço e saúdo o DaLuz por esse trabalho tão fantástico.

    ResponderExcluir

Os comentários serão aprovados por mim assim que possível, para aqueles que não possuam blogs favor usar a opção anonimo na escolha de identidade. Obrigado por sua visita, ela é muito importante para nós.

Rui Amaral Jr